Treinos semanais: Recomendações para iniciantes.

A questão relativa aos dias de treino e de descanso semanais que se deve fazer, é recorrente.

Então, vamos lá elucidar os nossos seguidores sobre esta temática.

Considerando as recomendações do American College of Sports Medicine (2007), o aluno deverá treinar de três a cinco dias por semana, no entanto, a duração desses intervalos é condicionada pela atividade básica do atleta, seja ela estudo ou trabalho; pelo tempo necessário aos processos de recuperação; e dos prazos necessários a um encadeamento ótimo dos efeitos de treino das sucessivas sessões (Matvéiev, 1986).

É importante entender que, tal como o descanso entre séries, o repouso entre treinos faz parte do processo de treino e tem objetivos a cumprir.

Cada treino que realizamos vai gerar um efeito no nosso organismo, preparando e otimizando o aluno para a realização de uma determinada tarefa, seja ela ser mais rápido numa corrida ou levantar mais peso no exercício de supino no ginásio.

O efeito gerado é variável, pois depende do “estado inicial do organismo, o conteúdo das sessões, as particularidades da utilização de meios e métodos de treino, o tempo decorrido entre as sessões e outras circunstâncias” (Matvéiev, 1986, p. 65).

Perante um aluno iniciante, a nossa recomendação alinha-se com a proposta do
American College of Sports Medicine (2007), ou seja, treinar três vezes por semana.

Com três treinos semanais e com intervalos de 24 horas entre si (ex: treinar à segunda, quarta e sexta-feira) vamos potenciar o fenómeno da supercompensação, que explicaremos de seguida.

Após o treino (segunda-feira) dá-se a exaustão pós-treino, ou seja, a nossa predisposição para o treino fica menor porque estamos cansados dessa sessão.

Naturalmente, depende da intensidade e volume do treino.

Nas horas seguintes, o organismo inicia o processo de recuperação que estará concluído entre 24 a 72 horas, promovendo um incremento no condicionamento físico do atleta.

Ao receber um novo estímulo no treino seguinte (quarta-feira), ou seja, quando estamos no topo da curva da supercompensação, isso irá gerar um crescimento muscular eficaz.

Quando negligenciamos o período de recuperação, o risco de lesão musculoequelética aumenta e pode levar ao processo de sobretreino.

Neste caso, não geramos o efeito de supercompensação e não promovemos o incremento do condicionamento físico do aluno.

Desta forma, percebemos porque é que é tão importante treinar pelo menos três vezes por semana, mais uma vez relembrando que estamos a falar de um aluno iniciante.

 

 

Bibliografia
ACSM (2007). Diretrizes do ACSM para os testes de esforço e sua prescrição (7ª.ed).
Guanabara-Koogan: Rio de Janeiro
Matvéiev. L. (1986). Fundamentos do treino desportivo. Livros Horizonte: Lisboa


Artigo escrito por: Bruno Oliveira / DuarteBFitnessCo

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos